Organizadas Brasil

07/03/2012Blog Paixão da Gama faz homenagem aos 68 anos da TOV

A primeira torcida organizada do VASCO DA GAMA foi criada em 1942, e oficialmente fundada em 7 de março de 1944.

Segundo o sítio oficial da torcida na internet, os fundadores foram: As irmãs Norma e Neide, os irmãos Mário e Margarida, Idalina e suas filhas, Aida de Almeida, Madame Bartês, Toni, e Tião.

Os fundadores da torcida sempre se reuniam com vascaínos em dias que não havia jogo do VASCO DA GAMA e tiveram a idéia da fundação da torcida. Antes de chegar ao nome hoje conhecido de todos os cruzmaltinos, foi sugerido o nome de Torcida Uniformizada do Vasco, mas o nome não foi aceito e logo depois foi descartado.

Segundo historiadores a TOV é a mais antiga torcida organizada do Brasil, mesmo considerando que os rubro-negros criaram em 1942 a Charanga Rubro-Negra, mas tratava-se de um grupo de músicos contratados pela diretoria do clube da gávea para animar os jogos, e não uma torcida organizada.

No Estádio de São Januário, a TOV ficava sempre nas sociais e quando da construção do Maracanã foi preciso entrar em acordo com a Charanga Rubro-Negra para definir o local em que cada grupo iria assistir aos jogos. A TOV através dos fundadores Aida de Almeida, Idalina, Norma e Margarida

resolveram se reunir com Jaime de Carvalho, diretor da charanga, e decidiram que a TOV ficaria do lado direito e os rubro-negros do lado esquerdo das cabines de rádio, ficando dessa forma até os dias atuais.

A reunião para decidir os locais das torcidas no Maracanã foi realizado no dia 24 de setembro de 1950, quando o VASCO DA GAMA venceu os rivais da Gávea por 2 a 1, e o lado direito do estádio passou a ser local obrigatória da torcida vascaína no Maracanã.

João de Lucca foi o primeiro presidente da TORCIDA ORGANIZADA DO VASCO – TOV, permanecendo de 1944 até 1956 na presidência da TOV, mas ele foi também um dos vascaínos que testemunharam o surgimento, nas competições de remo da década de 1920, do "Grito de Casaca", o grito de guerra vascaíno.

A Torcida Organizada do Vasco – TOV tornou-se a maior torcida uniformizada do VASCO DA GAMA contando com muitos associados, até os anos 1980, com a ascensão da Força Jovem do Vasco – FJV, que passou a ficar em evidência na mídia.

A TOV foi presidida por uma mulher de 1956 à 1975, sendo a primeira mulher a presidir uma torcida organizada, Dulce Rosalina somente deixou a presidência da TOV quando resolveu fundar sua própria torcida organizada, a RENOVASCÃO, VASCO CAMPEÃO, em 1975, depois de divergências entre os diretores da TOV, quanto a eleição para presidente do VASCO DA GAMA. Mesmo sendo mulher e na juventude dos seus 22 anos de idade quando assumiu a TOV, Dulce Rosalina nunca se intimidou e enfrentou o desafio de presidir a maior torcida organizada do Brasil, sendo que as vezes tinha de se reunir com os presidentes das outras torcidas organizadas do Rio de Janeiro, todos homens, para tomar decisões sobre concursos de torcidas que existiam nos estádios, criado por ela, e outras decisões sobre posicionamento da torcida e locais de concentração. Os outros presidentes de torcidas eram: Jaime de Carvalho (Rubro-negro); Paulista (Fluminense); e Tarzan (Botafogo).

Mais tarde, Dulce Rosalina tornou-se a Torcedora-Símbolo nº 1 do Brasil, escolhida em 1961, pela Revista do Esporte, a maior torcedora do clube do Almirante por sua atuação na torcida organizada e pelo empenho e dedicação que demonstrava pelo seu clube de coração.

Texto extraído do LIVRO PAIXÃO DA GAMA, saiba mais sobre essa e outras dezenas de torcidas organizadas do Vasco no livro oficial mais completo da história do clube. O livro está em pré-venda somente através do e-mail jorge_luiz@crvasco.com.br com desconto especial e frete grátis*

Fonte: http://paixaodagama.blogspot.com

Últimas notícias